Literatura de Verdade

Um blog sobre livros e notícias. E notícias sobre livros.

O Coração das Trevas

leave a comment »

O horror

We live in the flicker – may it last as long as the old earth keeps rolling! But darkness was there yesterday.
Joseph Conrad

Admita: você curtiu a morte de Muamar Kadafi. Pode ser que nos últimos meses sua consciência o tenha levado a defender o longevo ditador da sanha global por petróleo, mas lá no fundo – fala a verdade – você apreciou a desmoralização pública do vilão pelo povo líbio. A primeira reação é negar, eu entendo. “Mesmo o mais cruel dos déspotas merece um julgamento justo”, aquela coisa. Além do mais, não pega bem admitir qualquer prazer em assistir a imagens que sugerem o empalamento de um ditador, mesmo que ele tenha comandado a morte de 1,2 mil prisioneiros. Mas você gostou, porque a brutalidade e a selvageria com que o cadáver de Kadafi foi tratado pelos populares estão aí, dentro de você.

Fomos nós que empalamos Kadafi. Bem, pelo menos alguns de nós, que, livres dos pudores imprescindíveis ao bom convívio social, se entregaram aos desejos de vingança mais primitivos e genuínos. Resultado: do ditador que mereceu durante mais de 40 anos as atenções de potentes câmeras profissionais restaram apenas as imagens pixelizadas de um modelo defasado de telefone celular; imagens responsáveis por eternizar em segundos a mais recente celebração das trevas que cada homem luta diariamente para reprimir no mais fundo da alma.

Desculpa se a coisa toda ainda não fez sentido, mas você entende o que eu quero dizer quando nos igualo aos homens que devem ser julgados por torturar e matar Kadafi, não? É duro assumir, mas ponha-se no lugar de um líbio daqueles que, condenado até então a viver sob um regime autoritário encontrou, depois de meses de caçada e em vantagem numérica, um opressor indefeso. O que você faria? Correria às tropas da OTAN para pedir um par de algemas?

O cinegrafista responsável por registrar os últimos suspiros de Kadafi resumiu involuntariamente em 30 segundos o Coração das Trevas, do Conrad, e o Apocalypse Now, do Coppola. É o horror, bebê – você pergunta “por quê?, por quê?”, e o saudoso Michael manda dizer que é a natureza humana. Nós somos aquilo ali mesmo, mas envernizado por um ou outro desses adornos que sustentam a civilização. Talvez por isso seja tão incômodo confrontar as imagens de um corpo sem vida sendo arrastado pelo chão: podia ser você arrastando.

Graças ao youtube, não é mais preciso descer aos confins da floresta num barco com Joseph Conrad ou percorrer o Vietnã com Francis Ford Coppola para lembrar quem somos. Se você preferir continuar acreditando que as imagens de Kadafi lhe ofenderam por violar os direitos humanos e tal, tudo bem, mas eu sei o que os seus antepassados fizeram no verão passado e, portanto, o que você pode fazer nos próximos.

Anúncios

Written by Rodolfo Borges

Outubro 29, 2011 às 2:31 am

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: